Carpe Diem ;D

Popular girls

image 

Popular boys:

image 
Me and my friends:

image 

penabranco:

O amor é uma coisa incompreensível, principalmente quando não se é correspondido. Amor é uma coisa que te tira do sério, que te perturba, que te faz refletir sobre coisas, que antes, você nunca tinha parado pra pensar. Amor é pedir desculpas sem pensar que você está errado. Amor é a coisa mais linda desse mundo, e, ao mesmo tempo, é o pior dos sofrimentos. “É um contentamento descontente.” Amor é achar que o defeito do outro combina com o seu defeito. Amor, sou eu, aqui escrevendo um texto sobre o amor que eu sinto por você, ouvindo “De Janeiro a Janeiro”, quando na verdade deveria estar fazendo outras mil coisas. Amor sou eu te olhando meio de lado, meio disfarçado, só por te olhar, só por ver seu sorriso meio torto. Seu sorriso que nem ao menos é pra mim ou por mim. Amor sou eu abrindo mão das minhas razões, da minha pose de quem não liga, me desmanchando que nem manteiga derretida só por você, só por você ser simplesmente você. Amor é continuar insistindo no que você sabe que não vai dar pé, só por amar. Amor é muito mais do que cabe a nós imaginar. O amor é a simplicidade mais complexa que eu conheço. Por amor você é capaz der ir da água ao vinho, mesmo que em vão. Por amor, você fica horas e horas relembrando coisas bobas e desimportantes, que te fazem sorrir feito idiota. Amor é sorrir querendo chorar, é chorar querendo sorrir. O amor é mais complicado do que física quântica, mais difícil do que passar em vestibular para medicina. Amor é a dor que não se tem remédio para curar. Amor é aquilo que te faz ter idéias absurdas, é o que te faz imaginar coisas quase impossíveis. Amor, é medo, é coragem, é felicidade, é angústia, é carinho, é tudo o que se pode pensar e mais um pouco. Amor, sou eu, tentando me convencer de que não te amo.

penabranco:

O amor é uma coisa incompreensível, principalmente quando não se é correspondido. Amor é uma coisa que te tira do sério, que te perturba, que te faz refletir sobre coisas, que antes, você nunca tinha parado pra pensar. Amor é pedir desculpas sem pensar que você está errado. Amor é a coisa mais linda desse mundo, e, ao mesmo tempo, é o pior dos sofrimentos. “É um contentamento descontente.” Amor é achar que o defeito do outro combina com o seu defeito. Amor, sou eu, aqui escrevendo um texto sobre o amor que eu sinto por você, ouvindo “De Janeiro a Janeiro”, quando na verdade deveria estar fazendo outras mil coisas. Amor sou eu te olhando meio de lado, meio disfarçado, só por te olhar, só por ver seu sorriso meio torto. Seu sorriso que nem ao menos é pra mim ou por mim. Amor sou eu abrindo mão das minhas razões, da minha pose de quem não liga, me desmanchando que nem manteiga derretida só por você, só por você ser simplesmente você. Amor é continuar insistindo no que você sabe que não vai dar pé, só por amar. Amor é muito mais do que cabe a nós imaginar. O amor é a simplicidade mais complexa que eu conheço. Por amor você é capaz der ir da água ao vinho, mesmo que em vão. Por amor, você fica horas e horas relembrando coisas bobas e desimportantes, que te fazem sorrir feito idiota. Amor é sorrir querendo chorar, é chorar querendo sorrir. O amor é mais complicado do que física quântica, mais difícil do que passar em vestibular para medicina. Amor é a dor que não se tem remédio para curar. Amor é aquilo que te faz ter idéias absurdas, é o que te faz imaginar coisas quase impossíveis. Amor, é medo, é coragem, é felicidade, é angústia, é carinho, é tudo o que se pode pensar e mais um pouco. Amor, sou eu, tentando me convencer de que não te amo.

penabranco:

Não sei como lidar com essa idiotice involuntária… Sempre fui contra os corações partidos, sempre fui da filosofia de que é você quem escolhe de quem gosta, de que não existe amor involuntário, ou amor a primeira vista, sempre fui descrente desse “tal” gostar que as pessoas tanto falam e se dizem sofrer por ele. Sempre tive certeza de que sofrer por amor é uma idiotice opcional. Sempre pensei que gostar de alguém que não gosta de você era estupidez; tinha um pensamento convicto de que se a pessoa não gosta de você, é só você não gostar dela, e pronto, acabou. Nunca me enganei tanto. Ou talvez eu não tenha me enganado, talvez eu só esteja sendo uma idiota voluntária. O problema é que essa idiotice não sai de mim. Ás vezes eu penso que sempre soube dessa minha queda por você. Só não queria ver, ou aceitar isso. Sempre estipulei padrões pra tudo, e você nunca se encaixou em nenhum deles. No começo éramos bons amigos, então, por motivo que eu ainda desconheço não conversamos mais; todo tipo de relação foi cortada. Hoje, não trocamos nem um mero bom dia, quando muito, trocamos duas ou três palavras, apenas o estremo necessário. E isso me aflige tanto. Na verdade, não sei o que me aflige mais, se é eu não conseguir te esquecer, te ignorar, te tornar indiferente na minha vida; ou eu ser indiferente na sua. Não sei por que isso foi acontecer logo com você, logo você que me irrita só de abrir a boca, você que consegue me tirar do sério com tão poucas frases. Tem tantos outros caras no mundo, por que logo você? E é engraçado como eu vejo qualidades nos seus defeitos, acho que eles me irritam tanto, que eu acabo gostando, mesmo sem querer gostar. E isso tudo é tão ridículo, não vejo como me adaptar nessa situação. Preciso manter minha pose de indiferente quanto a você, preciso manter meu olhar de desprezo aos seus atos estúpidos, preciso continuar fingindo que não acho graça das suas piadas, preciso continuar fingindo que não gosto do seu sorriso meio torto. Mas por dentro, estou ali, derretida nos seus gestos bons, e discretamente, te observando, e mergulhando cada vez mais nessa estupidez. E pra quem um dia já foi cheia de razão e racionalidade, hoje, quer acreditar em um mísero 1% de chance de esse sentimento ser recíproco… Ainda bem que me falta coragem, e o pouco de razão que me restou, ainda me faz acreditar mais nesses outros 99%.

penabranco:

Não sei como lidar com essa idiotice involuntária… Sempre fui contra os corações partidos, sempre fui da filosofia de que é você quem escolhe de quem gosta, de que não existe amor involuntário, ou amor a primeira vista, sempre fui descrente desse “tal” gostar que as pessoas tanto falam e se dizem sofrer por ele. Sempre tive certeza de que sofrer por amor é uma idiotice opcional. Sempre pensei que gostar de alguém que não gosta de você era estupidez; tinha um pensamento convicto de que se a pessoa não gosta de você, é só você não gostar dela, e pronto, acabou. Nunca me enganei tanto. Ou talvez eu não tenha me enganado, talvez eu só esteja sendo uma idiota voluntária. O problema é que essa idiotice não sai de mim. Ás vezes eu penso que sempre soube dessa minha queda por você. Só não queria ver, ou aceitar isso. Sempre estipulei padrões pra tudo, e você nunca se encaixou em nenhum deles. No começo éramos bons amigos, então, por motivo que eu ainda desconheço não conversamos mais; todo tipo de relação foi cortada. Hoje, não trocamos nem um mero bom dia, quando muito, trocamos duas ou três palavras, apenas o estremo necessário. E isso me aflige tanto. Na verdade, não sei o que me aflige mais, se é eu não conseguir te esquecer, te ignorar, te tornar indiferente na minha vida; ou eu ser indiferente na sua. Não sei por que isso foi acontecer logo com você, logo você que me irrita só de abrir a boca, você que consegue me tirar do sério com tão poucas frases. Tem tantos outros caras no mundo, por que logo você? E é engraçado como eu vejo qualidades nos seus defeitos, acho que eles me irritam tanto, que eu acabo gostando, mesmo sem querer gostar. E isso tudo é tão ridículo, não vejo como me adaptar nessa situação. Preciso manter minha pose de indiferente quanto a você, preciso manter meu olhar de desprezo aos seus atos estúpidos, preciso continuar fingindo que não acho graça das suas piadas, preciso continuar fingindo que não gosto do seu sorriso meio torto. Mas por dentro, estou ali, derretida nos seus gestos bons, e discretamente, te observando, e mergulhando cada vez mais nessa estupidez. E pra quem um dia já foi cheia de razão e racionalidade, hoje, quer acreditar em um mísero 1% de chance de esse sentimento ser recíproco… Ainda bem que me falta coragem, e o pouco de razão que me restou, ainda me faz acreditar mais nesses outros 99%.

desciclopedia:

:3
derppet:

Propaganda é a alma do negócio AEIUHAEHIE

derppet:

Propaganda é a alma do negócio AEIUHAEHIE

AGORA PARE…

its-free:

… E PEGUE NO BUMBUM!

creepnerd:

haters gonna hate

creepnerd:

haters gonna hate

Reblog, clique na imagem e descubra porque as canetas Bics tem esse furinho nelas.

sorepasso:

Ah, então é pra isso…

Só Repasso